SISTEMAS CONSTRUTIVOS INDUSTRIALIZADOS

Bem, hoje falarei de alguns sistemas construtivos industrializados, tentarei ao máximo não externar a minha opinião (de certa forma sou suspeito em tecer qualquer comentário sobre, pois sou um arauto das construções industrializadas e mais apaixonado ainda por estruturas metálicas), e só trazer as informações a cerca dos sistemas, tentando sanar as dúvidas que os interessados possam ter.

Para dar uma visão geral do assunto, vamos retroceder um pouco no tempo e viajar um pouco para o continente europeu, pois bem, no período pós segunda guerra, o continente se via devastado, o déficit habitacional em alta, e os governos necessitavam de soluções rápidas e práticas que pudessem acolher os desabrigados em tempo recorde, foi onde a industrialização na construção civil teve seu início, qualificando os métodos construtivos e controle maior da expansão urbana, por intermédio de métodos padronizados.

Essa necessidade trouxe diversos benefícios ao setor, desde o aquecimento econômico a grandes avanços tecnológicos, entretanto, esse avanço ainda não é visto na mesma proporção em território nacional, por diversos motivos, desde a escassez de profissionais capacitados ao preconceito que grassa dentre a população em relação aos métodos menos ortodoxos.

Trabalhar com métodos industrializados é uma tendência do mercado, pois os custos estão cada vez mais competitivos, a qualidade do serviço é superior, rastreabilidade nas etapas conferindo maior segurança ao cliente final, menos desperdício, obra mais organizada, menos uso dos recursos naturais, além da redução nos prazos de entrega. Veja na seqüência alguns dos sistemas industrializados que vem ganhando força no mercado nacional.

Light Steel Frame – Esse sistema tem como característica formar um esqueleto estrutural entrelaçado com os perfis metálicos, valer-se de elementos de vedação que conferem ao sistema um ótimo desempenho acústico e térmico, essas placas fazem o revestimento da estrutura isolando-a do meio e protegendo-a das intempéries. É uma construção rápida, leve e muito precisa, uma vez que estruturas metálicas trabalham em milímetros, sem contar o nivelamento das paredes, pois essas não necessitam dos processos de uma construção convencional.
Basicamente a estrutura em LSF (Light Steel Frame) é composta pelos perfis que dão a rigidez estrutural e o aspecto monolítico da construção, o isolamento termoacústico, que pode ser usado lã de vidro ou lã de PET, placa OSB, que é um painel constituído tiras prensadas de madeira reflorestada, uma membrana que trabalha como nossa derme, protegendo os demais elementos, placa cimentícia, que é uma placa de massa de cimento e fibras de vidro e por fim a Base Coat, que nada mais é que uma massa impermeabilizante que elimina frestas e funciona como base para qualquer tipo de acabamento convencional.
Vantagem do sistema, rápido, preciso, obra limpa, estrutura leve (economia nas fundações), mas ainda sofre com a resistência popular e um custo que pode ser alto dependendo do tipo de obra e tamanho.

Construção  em LSF

Wood Frame – É o sistema que originou o LSF, porém ao invés de trabalhar com aço, sua base estrutural é a madeira. Todas as características do Steel Frame estão presentes no Wood Frame, as desvantagens em relação ao LSF são no tocante ao custo da matéria prima e durabilidade, pois como a base do Wood Frame é a madeira, esse material deve ser perfeito, e quem conhece de obra sabe que madeiras de boa qualidade são caras no Brasil, isso reflete no custo final da obra, e a durabilidade, embora haja relatos de construções feitas em Wood Frame que perduram mais de séculos, é inegável a resistência ao tempo que o aço tem.

Residência em Wood Frame

Parede de concreto armado – é um sistema industrializado muitíssimo utilizado em programas sociais de residências para populações mais carentes, pois se trata de paredes moldadas no local ou não, que já vem com todos os sistemas elétricos e hidráulicos embutidos e são feitos em grandes escalas, esse sistema é vantajoso pelo baixo custo e pela rapidez, mas tem uma dificuldade de se trabalhar com arquiteturas mais elaboradas.

Projeto Social executado com paredes de concreto armado

Paredes de painéis monolíticos de EPS – paredes e lajes são executadas com painéis de EPS (poliestireno expandido), com reforços de tela de aço e cobertas com concreto projetado, por trabalhar com EPS que é um conhecido e ótimo isolante térmico, esse sistema tem chances de ser o que apresenta melhor desempenho nesse quesito, além de ser também uma estrutura leve (para se ter uma idéia de grandeza, uma alvenaria convencional trabalha com uma carga a parir de 120kgf/m², já esses painéis trabalham na ordem de até 60kgf/m²) aliviando as cargas nas fundações, que do ponto de vista econômico é um ótimo negócio, por ser um painel que trabalha com materiais de características distintas, pode ocorrer de aparecer algumas trincas oriundas das diferenças de comportamento dos materiais frente às variações térmicas.

Residência construída com paredes em EPS

Uma característica em comum nesses sistemas, além da velocidade e organização da logística da obra, é o fato de serem construções monolíticas (explicarei melhor esse tema em outra oportunidade), que facilitam a utilização de radier, acarretando em uma fundação mais econômica em muitos casos.

Se você gostou do artigo e acha que essa informação pode dar uma força para algum conhecido, compartilhe em suas redes sociais! Ajude nosso blog a propagar o conhecimento da Boa Engenharia para o maior número de pessoas!

Ah! deixe sua crítica ou sugestão, afinal de contas, esse espaço é nosso!

Até breve!

Jorge Oliveira

About the Author

Jorge Oliveira é redator do Blog da PEDECON e Gerente Comercial, além de ter feito Engenharia Civil, é especializado em Projetos Estruturais. Além de tudo, Jorge destina parte de seu tempo buscando compartilhar ao máximo as boas práticas da Engenharia.

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *